Como montar uma loja de bebê com pouco dinheiro?

Publicado por Jéssica Trabuco em 18 de dezembro de 2023

Com menos de R$50 mil já é possível montar uma loja de bebê e se você tiver um bom planejamento e for uma pessoa focada, pode conseguir excelentes resultados a partir desse lugar.

Se está interessado em investir nessa área, meu texto tem muito a te ajudar. Vou falar mais sobre esse investimento, sobre as possibilidades de ganho e te mostrar 9 passos que são necessários para montar o seu negócio do zero, com pouco dinheiro.

Fica comigo até o final do texto e entenda como montar uma loja de bebê com pouco dinheiro atualmente:

Afinal, quanto custa abrir uma loja de bebê?

Dicas de como montar uma loja de bebê com pouco dinheiro

De acordo com o Sebrae, o custo para abrir uma loja de bebê de 50 m² é de R$48.180. Se você considerar outros empreendimentos na área, vai perceber que esse é um valor bem abaixo do mais comum.

O interessante é que nesse número estão inclusos os gastos com a reforma, capital de giro, compra de material e até estoque.

Dá para começar com menos? Claro que sim! Só que isso vai exigir ainda mais organização e contas, para que você aproveite o valor disponível da melhor maneira possível. A ideia é começar com o que tem, entende?

Apesar de ser uma estimativa bem segura, eu preciso te lembrar que o valor que vai gastar depende muito do projeto que vai montar e do que pretende com o seu empreendimento. Por isso é tão importante fazer o seu planejamento corretamente.

Tudo pode variar de acordo com o projeto de cada um, além da região, dos objetivos e até do tamanho que se pretende iniciar.

Loja de artigos para bebê dá lucro?

O faturamento de um negócio depende muito do empreendedor que está na frente dele. Todas as suas decisões e a forma de administração diária, vão ditar se o empreendimento será lucrativo ou não, por isso é importante ter foco e estar empenhado em oferecer o melhor.

Pensando de uma forma geral, no entanto, podemos dizer que uma loja de bebê fatura entre R$30 mil a R$50 mil, com um lucro médio de 30%. Pensando nesses números, isso significa que o empresário ganharia livre entre R$9 mil e R$15 mil.

Isso é uma regra? Claro que não! Com certeza existem pessoas ganhando menos e outras ganhando muito mais. Você precisa pensar no objetivo que quer alcançar e construir o seu projeto todo adaptado para isso.

9 passos para montar uma loja de bebê com pouco dinheiro

Agora que percebeu que é possível sim começar com um investimento menor, vou te apresentar o que é preciso para colocar sua loja para funcionar de verdade.

Esses são os pontos gerais que vão fazer parte do seu projeto, independente do caminho que queira seguir. Confira:

Como abrir uma loja de bebê com pouco dinheiro

1. Pesquise o mercado

Não dá para começar um projeto sem pesquisar o mercado da região. Por mais que a gente saiba que a área de bebês é potente e movimenta muito dinheiro por ano no país, é preciso entender o que está acontecendo na sua área.

  • Tem outras lojas aí na sua região?
  • Como elas trabalham?
  • Quais produtos são seu carro forte?
  • Quais os preços?
  • Existe algo que elas não fazem e você pode aproveitar?

Analise todos os pontos que puder porque Isso vai te ajudar a aproveitar os acertos delas e evitar seus erros.

2. Faça um bom planejamento

Um bom planejamento é fundamental! Com ele, suas chances de ter sucesso com sua loja são bem maiores. Pegue os dados que encontrou durante a sua pesquisa de mercado e use a seu favor nesse momento.

Coloque o valor de investimento que tem disponível, os seus objetivos, a região que pretende instalá-la, o público alvo que quer trabalhar, quanto pretende faturar, como vai divulgar… Tudo!

Ter essas informações em um papel te dará uma visão muito mais profunda e real sobre o que pode e como será feito. A ideia é criar um cronograma dos seus passos e seguir isso de forma organizada.

3. Legalize a sua loja

Física ou não, sua loja de bebê precisa ser legalizada! Isso significa que você precisa de um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e um regime tributário. A minha dica aqui é: Procure por um escritório de contabilidade para te ajudar com essa parte.

Isso vai evitar que você perca tempo e dinheiro, desnecessariamente, enquanto pode resolver tudo com praticidade.

Existe também a possibilidade de você começar como MEI. Dá para fazer sua inscrição no Portal do Empreendedor, de maneira fácil e em cinco minutos já ter o seu CNPJ. A questão aqui é que o Microempreendedor tem um limite de faturamento anual, sem falar que só pode contratar uma pessoa pagando um salário mínimo.

4. Escolha a melhor localização

O mais importante nessa situação é escolher uma região de fácil acesso e que tenha grande fluxo de pessoas passando todos os dias.

Por exemplo, abrir uma loja de artigos para bebê em shoppings é uma ótima opção. Você também pode escolher regiões em rua que sejam próximas de centros comerciais, residenciais, de faculdades, grandes hipermercados e até centros médicos.

Também priorize locais seguros, que tenham infraestrutura básica (como água, energia e internet) e aquelas regiões que sejam fáceis de acessar tanto por meio de transporte público, quanto por meio de veículos particulares.

Um local onde a sua loja fique em evidência deve ter prioridade na sua escolha: Frente de rua é sempre melhor! As pessoas precisam ver o seu empreendimento com facilidade.

Outra coisa: Ela precisa caber no seu orçamento! Não queira ter um custo além do que já tinha definido no seu planejamento.

5. Monte a sua estrutura

Você não precisa de um espaço muito amplo para começar, algo em torno de 50 m² já é suficiente. O importante é que o espaço seja bem organizado, limpo e que esteja de acordo com o tema dos bebês.

Apesar de cada projeto ser único, no geral a estrutura de uma loja dessas costuma ser dividida em:

  • Área de mostruário dos produtos, que podem ser divididas por seções;
  • A parte do atendimento ao cliente (em caso de trocas, problemas com peças e outras solicitações);
  • Balcão para venda;
  • Depósito;
  • Estacionamento (no caso das lojas de rua);
  • Sanitários;
  • Copa (se for possível);
  • Local de descanso para seus funcionários;
  • Área administrativa (que em muitos casos começa no próprio balcão de venda/caixa).

6. Forme uma boa equipe

O que você precisa se preocupar na hora da contratação é com a capacidade de atendimento ao cliente de todos os seus funcionários, independente do cargo. Esse será o diferencial do seu negócio!

Infelizmente o Brasil é um país que ainda precisa evoluir muito nessa questão. Por conta disso, as empresas que possuem um atendimento de qualidade acabam atraindo e fidelizando um número maior de pessoas.

Aposte no treinamento do seu pessoal e monte uma equipe diferenciada, de profissionais motivados que gostem de trabalhar e que acreditem no seu negócio.

A quantidade de funcionários vai depender do tamanho do seu negócio, mas basicamente você vai precisar de:

  • Vendedores;
  • Funcionários para ficar no balcão de atendimento e de pagamento;
  • Profissionais para cuidar da limpeza do local;
  • Auxiliares de administração.

7. Crie o melhor mix de produtos

A boa notícia é que você pode vender tudo do mundo dos bebês (e isso é ótimo)! Desde produtos que o bebê utilizará no seu dia a dia, como chupeta e fraldas, até carrinhos de passeio, berços, roupas, brinquedos, loção para corpo, talco, hidratante, babás eletrônicas e até tablets para criancinhas.

O mais interessante nesse negócio é reunir em um só lugar todas as soluções que uma família precisa quando uma criança vai nascer – o que significa suporte e acessórios para os pais também.

Procure não só oferecer os produtos mais vendidos para bebê (aqueles básicos), como também investir tempo e pesquisa em produtos inovadores, de qualidade acima da média e que façam os papais se renderem à sua loja.

8. Faça parceria com bons fornecedores

Para ter um mix de produtos que atraia o cliente e faça você vender, é preciso ter qualidade, diversidade e inovação. Essas coisas só serão possíveis pesquisando muito até encontrar os melhores fornecedores de artigos para bebê.

Existem distribuidores e marcas que vendem um pouco de tudo e muitos empreendedores preferem fazer assim. Outros fazem negócio de acordo com o segmento da empresa, como é o caso dos que compram as roupas de bebê direto da fábrica.

Veja o que funciona melhor para seu projeto, tanto em relação ao investimento, quanto ao tempo e qualidade. O importante mesmo é ter parceiros que se possa contar e confiar.

9. Divulgue bastante a sua loja

Não é porque o seu objetivo é ter um negócio físico, que não deva aproveitar a internet e toda a força que ela tem. Montar uma loja de bebê online pode fazer o seu faturamento quadruplicar em pouco tempo.

O mais legal é que você pode vender online sem precisar investir em um site agora.

Olha algumas maneiras de conseguir clientes pela internet sem investimento:

  • Perfil no Instagram: Você cria o perfil da sua loja, publica fotos e conteúdos que interessem ao seu público e aos poucos criará uma audiência que comprará na sua mão;
  • Anúncios em grupos de venda do Facebook;
  • Anúncios em sites de venda (como OLX);
  • Cadastro da sua empresa no Google (assim quando alguém pesquisar por loja de artigos de bebê, encontrará a sua);
  • Boca a boca pelo WhatsApp.

Detalhe: Os métodos tradicionais de divulgação também são muito eficientes e você deve aproveitá-los. Usar panfletos, carro de som, outdoor e até algumas propagandas em rádios, televisões e revistas locais, pode ajudar bastante.

Leia também: 41 ideias de nomes para lojas de bebê

loja de artigos para bebê

Monte já o seu negócio!

Agora que você já sabe que tem sim como montar uma loja de bebê com pouco dinheiro, espero que aproveite as minhas informações e comece a transformar o seu sonho em realidade.

Agradeço muito a sua companhia por aqui hoje e te desejo toda sorte do mundo.

Um grande abraço e até a próxima!

Descubra quais são os Melhores Negócios para abrir com até R$ 500 Reais! Clique no botão abaixo e tenha acesso gratuito à Lista de Negócios mais Baratos para montar atualmente!
Jéssica Trabuco
Sou baiana de Salvador, formada em Jornalismo e fundadora do Negócio de Cozinha. Trabalhei com vendas por mais de cinco anos e estudar e falar de negócios faz parte do meu dia a dia! Sou apaixonada em ajudar o outro a mudar o seu mundo e faço o que estiver ao meu alcance para conseguir!

Deixe o primeiro comentário